Lindo poema, quero ir com o Prof. Ives! Embora para Passárgada!

Passárgada








Vou me embora p'ra Passárgada,
Lá hoje o rei é melhor,
Alegra-se toda a gente
Com um governo menor.

Nos novos tempos da terra,
O Supremo nada manda
E os políticos não furtam,
Pois o povo é quem comanda.

Vou m'embora p'ra Passárgada,
Aqui já não sei viver,
Vira a mentira verdade,
Para o bem se desfazer.

Onde estou, os que governam,
Pensam ser mais do que rei,
Tiram dinheiro do povo
E a podridão faz a lei.

Vou m'embora p'ra Passárgada,
Quero ver home'e mulher
Unidos sempre em família,
Pois assim a vida o quer.

Estou cansado de roubo,
Não agüento a "supremite",
Moléstia de magistrados.
Que não mais isto m'irrite.

Vou me embora p'ra Passárgada,
Que é melhor que a do Bandeira.
Tudo lá é limpo e bom,
Pois pátria sem bandalheira.

Esta terra de vampiros
Para sempre deixarei.
Lá todos são mais felizes
E são amigos do rei.

Jaguariúna, 23/06/2011.


Jornal Carta Forense, terça-feira, 2 de agosto de 2011

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Adriana Cecilio - Advocacia - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: ID Serviços.
Agilidade, Eficiência e Transparência.
imagem-logo